Image

Café CIPRA ABORDA A ELECTRIFIÇÃO DO PAÍS

Publicado aos 08, junho 2022

Eng.º Rui Pereira do Amaral Gourgel, Presidente do Conselho de Administração da Rede Nacional de Transporte de Electricidade (RNT-EP), participou no Dialogo Sem Mediação da sexta edição do Café CIPRA, realizado no pretérito dia 7 de Junho, às 15 horas, no Centro de Imprensa da Presidência da República (CIPRA)

O espaço de diálogo directo entre representantes do Executivo e da sociedade civil, incluindo jornalistas, economistas, juristas, sociólogos, activistas e analistas políticos e sociais, que contou com outros facilitadores do diálogo sobre a  Eletrificação do País e o seu Impacto na Atracção de Investimentos, nomeadamente, o Secretario de Estado de Energia (MINEA), Belsa da Costa, o PCA da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE), Hélder Adão, e o Administrador da Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações (AIPEX), Lello Francisco. 

Na sua intervenção, o PCA da RNT, fez um ponto de situação actual da empresa que dirige, com particular atenção para os activos de exploração. Também fez uma analise comparativa do estado do Sistema Eléctrico Público nos últimos cinco anos, quer na qualidade do serviço, quer na quantidade de investimentos.

O Eng.º Rui Gourgel chamou atenção para a redução significativa de Black outs (apagões), salientando que a meta do Sector é, agora, zero por ano. Fez ainda referência, a entrada em funcionamento da Central Hídrica de Cambambe II, a Central Ciclo Combinado do Soyo e do Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca que permitiram a entrada em funcionamento das interligações norte-centro através do sistema de transporte à 400 kV Laúca – Waco Kungo – Belém do Huambo e do sistema de transporte a 220 kV Gabela – Quileva, que permitiu a redução do consumo de gasóleo de 280 milhões de litros para menos de 3 milhões de litros por ano.

o PCA da RNT acrescentou que, a expansão do Sistema Eléctrico tem permitido, nas sedes provinciais, o reforço, reabilitação e expansão da rede existente e consequente melhoria na qualidade de fornecimento e disponibilidade de potência e nas sedes municipais a dinamização da actividade económica protagonizada por micro, pequenas e médias empresas traduzida em actividade comercial, pequenas indústrias e criação de novos empregos.  

 No tocante a Atracção de Investimentos, o dignatário avançou que, a RNT-EP tem recebido vários pedidos de fornecimento de energia para grandes projectos, um pouco por todo País.