Image header area

Perfil da RNT-EP

A Empresa Pública, Rede Nacional de Transporte de Electricidade, abreviadamente RNT-EP, foi criada no âmbito do Programa de Transformação do Sector Eléctrico (PTSE), sob o Decreto Presidencial 305/14 de 20 de Novembro, seguindo o estabelecido na Política de Segurança Energética de Angola (PSEA), aprovada pelo Decreto Presidencial n.º 256/11 de 29 de Setembro.

A RNT-EP tem por objecto o transporte de energia eléctrica através da Gestão do Sistema Eléctrico Nacional (Operação do Sistema), e da Operação do Mercado (Comprador Único) e da Exploração da Rede Nacional de Transporte (Operação da Rede), que compreende a Rede de muito Alta Tensão (MAT), a Rede de Interligação, as Instalações do Despacho e os Bens e Direitos Conexos. Deverá, igualmente, actuar como entidade intermediária na compra e venda de energia entre produção e distribuição, fomentando a concorrência entre os diversos centros electroprodutores, de forma a minimizar o custo de produção de energia no País.

Para além da função “Regulador do Mercado”, a RNT-EP tem a responsabilidade de coordenar o planeamento das diferentes entidades participantes no Sistema Eléctrico. A empresa utilizará as directrizes de desenvolvimento do sector, definidas pelo MINEA, e análises de procura e de capacidade para definir o planeamento de projectos estruturantes no sector. Cada uma das empresas do sector deverá identificar as necessidades de investimentos estruturantes, os projectos não estruturantes e, definir o planeamento e detalhe dos projectos, em coordenação com a RNT-EP, respeitando os quatro planos estabelecidos para o planeamento a longo, médio e curto prazos, para o desenvolvimento do sector, sendo:

  • PNE - Programa Nacional de Energia (Sector Eléctrico): Marco da evolução do sistema eléctrico para cobrir objectivos de segurança e qualidade do fornecimento, referência para o sector, como fonte para propor projectos estruturantes. O horizonte de planificação é entre 10 e 15 anos e deve ser revisto a cada 4 anos;
  • PERT - Plano Estratégico da Rede de Transporte: Informa ao sector a proposta de desenvolvimento dos futuros grandes eixos de transmissão em 220-400 kV. O horizonte de planificação é entre 10 e 15 anos e deve ser revisto a cada 4 anos;
  • PDSE - Plano Director de Expansão do Sistema Eléctrico: Realizar o planeamento de investimentos a médio e longo prazo a partir da estratégia definida para a expansão e reabilitação da Rede de Transporte. O horizonte de planificação é de 6 anos e deve ser revisto a cada 2 anos;
  • PIP - Programa de Investimento Público: Programa para financiar projectos de desenvolvimento do sector. O horizonte de planificação é de 5 anos e deve ser revisto anualmente.

 

A Rede de Transporte de Electricidade Angolana está inicialmente composta por 3 sistemas independentes Norte, Centro e Sul, repartidos em 5 níveis de tensão, com 52 linhas de transporte nos diferentes níveis de tensão, nomeadamente:

  • 400 kV;
  • 220 kV;
  • 150 KV;
  • 132 KV;
  • 110 kV. 

Numa extensão de 4.641 km e um parque eléctrico formado por 26 subestações, com uma Potência Instalada de 9.093,3 MVA.

A Rede de Nacional Transporte, apresenta algumas fragilidades no seu “modus operandi”, mais concretamente na manobrabilidade e flexibilidade do sistema, que se resume em:

  • 3 Sistemas Independentes, com limitações na cobertura do País e Taxa de Indisponibilidade relevante;
  • Sistema não Interligado, com perdas significativas, limitações de balanceamento e elevadas necessidades de redundância;
  • Limitações na gestão e controlo integrado do sistema.

O desenho da organização da RNT foi projectado por forma a promover a melhoria da prestação do serviço público de fornecimento de electricidade e consequentemente da qualidade de vida da população, promovendo também o desenvolvimento da economia do País.